quarta-feira, 17 de maio de 2017

CRENDICES



Mais um dia de caminhada
em busca do nada
que se consome em meio à solidão de beira de estrada.

Sentimentos vãos
esmigalham-se ao chão
sob pegadas rumo à sonhada mortalha.

Caiam todos os cacos...
Ferem-se em todos os frascos...
Recolhem os feridos em brutais abraços.

Inútil sentimento de se ver,
mais imbecil ainda de se viver
perdido em taça vital de mísero crescer.

Caminho de pedras difíceis...
Impossível continuar nessas tolices...
Sensata é a procura dos absurdos das meninices.

Demente é esta árdua decisão
de colocar o Poeta frente à sua real condição
enquanto transborda em si a crendice idiota de uma eterna paixão.

Poema de Della Coelho
Imagem: google.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário