terça-feira, 23 de maio de 2017

ENRIJECENDO





Preciso da cura deste coração
que segue no vazio de tanta solidão.
Em nada mais vê razão para seu bater;
busca, então, nos cantos sublimes uma Flor para sobreviver.

Sangra como nunca antes experimentou,
porque agora vê nitidamente o desprezo daquele a quem sempre amou.
A dor de tão profunda fez a alma aniquilada
feito uma múmia pela morte mortificada.

Agora resta com os petrificados passos prosseguir
até que finalmente chegue o tão sonhado extinguir.
Quisera que uma Margarida neste asfalto florescesse
para que assim de Esperança fizesse que a minh’Alma revivesse.

Poema de Della Coelho
Imagem: google.com





Nenhum comentário:

Postar um comentário